Depoimentos

Daniela

Open Water Diver
Olá Paulo, Finalmente, consegui fazer meus novos mergulhos, sem você por perto para socorrer!!!! Eu, Sérgio e Ricardo fomos a Angra, lá com o Comandante, este último sábado. Pois não é que ele nos levou para mergulhar no Parcel dos Coronéis??? Foi muito legal, não poderia imaginar que meu terceiro mergulho seria em um lugar assim!!!!

Descemos 20 metros, e não tive qualquer problema, nem mesmo de compensação, que era o que eu mais temia. Além disso, estava super tranqüila, mesmo depois do comandante ter falado "gente, cuidado, o Parcel não é para amadores, um tem que tomar conta do outro, nem todos conseguem mergulhar lá". Pois eu fui, feliz da vida, e ainda passei por várias fendas, sempre atrás do Sérgio e do Ricardo.

Depois, fomos a Ilha de Búzios, muito mais tranqüilo (uma piscina, comparado ao Parcel). Ficamos lá por muito tempo, porque os meus dois companheiros (apropriadamente agora conhecidos como "teletubbies", ou cabeças-de-vento!!!!), Ricardo e Sérgio, não viram o barco na volta!!! Acredite se quiser, dois mergulhadores ARRASO, um inclusive com o avançado, nem se preocuparam em olhar para cima ou lembrar da onde tínhamos começado.....Mas eu, uma mergulhadora iniciante, resolvi começar a prestar atenção a esses "detalhes" de localização, e vi o barco!!!! E eu mostrava o manômetro e "dizia": "Gente, é para lá, temos que voltar. Por que você estão indo tão depois do barco?" E ninguém dava bola para mim!!!! Eles olhavam o meu manômetro e faziam "OK", achando que eu estava preocupada com a quantidade de ar restante, e tinha mais do que o suficiente ainda para "chegar" ao barco (que na verdade já tinha passado há muito tempo......).

Assim, ao grupo de "profissionais", se juntou uma amadora que teve um excelente instrutor, e prestou atenção todo o tempo na localização e na quantidade de ar restante......

Então, meus primeiros mergulhos, pós-aula-sem-instrutor, foram maravilhosos, sem qualquer problema. Uma tranqüilidade. Até o Comandante falou: "Olha, você me surpreendeu. Para quem ainda está no terceiro mergulho, descer ao Parcel e fazer o que você fez lá com os meninos, está de parabéns. Não é todo mundo que está preparado para este lugar, assim, logo de cara". E eu só posso e devo agradecer isso à você, que me instruiu tão bem no meu curso Open Water.

O Comandante ainda completou que, se é aluno do Paulo de Tharso, ele não tem que se preocupar com nada, geralmente são os mais calmos e seguros. E também são os mais educados e respeitosos, porque são reflexo do instrutor que tiveram.

Obrigada, Paulo, pelo carinho e competência com que você nos deu o curso, e por nos fazer mergulhadores que serão sempre bem-recebidos. Um abraço, Dani.

Camila Carvalho

Open Water Diver
Nunca acreditei que eu pudesse um dia mergulhar. Já havia até tentado, mas desisti antes de pular na água. Tinha medo de me sentir sufocada. Logo eu, que viajo com freqüência para Arraial do Cabo, cidade do Rio conhecida como a capital do mergulho, nunca havia mergulhado. Desta vez eu não podia falhar. Era uma questão de honra.

Não vou esquecer nunca do dia em que entrei na Operadora de mergulho (morrendo de medo, que fique bem claro) e conheci o Willian Bueno que conquistou a minha confiança. Como estava com amigos, foi mais fácil. Um animava o outro. A equipe foi muito séria e responsável, nos apresentou um vídeo de instrução, checou todos os nossos dados, recebeu pessoalmente cada um de nós para nos acalmar e explicar como tudo funcionava. Sem dúvida, conquistaram minha confiança.

Confesso que até a hora em que você pula na água, há uma tensão no ar. Os primeiros 5 minutos no mar foram os mais tensos. Passado esse período, eu relaxei. Como sou aquarista, conhecer a fauna marinha e os corais era um desejo antigo. Estava emocionada e queria chegar bem perto dela... Minha vontade era sair correndo, ou melhor, nadando para ver tudo o mais rápido possível. Meu instrutor contribuiu muito para me acalmar. Aos poucos fique tão tranqüila, que não tive medo e consegui manter a respiração calma o suficiente para aproveitar bastante. Quando voltei a superfície, estava radiante. Havia vencido um medo e me apaixonado pelo mergulho.

Mergulhar foi uma experiência incrível para mim. Meu coração disparava a cada peixe que chegava perto de mim. Não dá para descrever a emoção de ver um cavalo marinho adormecido em seu habitat natural. Por mim estaria lá até agora olhando para ele. Diferente de tudo que já vivi, o mergulho nos dá uma sensação de paz incrível. Talvez seja o silêncio (ou o barulhinho bom) lá de baixo que nos faça refletir sobre a vida. O mar não é somente uma parte da natureza. O mar é um universo e mergulhar, embora possa até parecer demagogia, me fez ver a vida de forma diferente. Sem dúvidas, foi a melhor experiência da minha vida.

Gustavo Pires e Luciane Pedro

Open Water Diver
Chegou o Fim de Semana e todos com seu chek list feito para um FDS em Angra dos Reis. Espectativa grande para encontrar seus amigos e fazer novas amizades.

Este será um encontro diferenciado porque não serão todos mergulhadores. Teremos os amigos com suas respectivas, teremos a turma do snorkel e pela primeira vez a minha esposa estará no barco e isso me proporciona mais felicidade.

Nooossa....este grupo que se reuniu na Pousada Pier 7400 com a Operadora Sottomare me proporcionou uma felicidade grandiosa.

Quero parabenizar a equipe sob coordenação do Willian Bueno e Carlos Alemão.

Quando temos em nossas vidas atitudes incorretas, a colheita é de problemas, de falsas amizades em caminhos tortos. Quando buscamos atitudes sadias, a colheita é de lindas amizades, de ambientes harmoniosos, brincadeiras saudáveis e sempre conquistando cada vez mais amigos verdadeiros.

Quero deixar registrado que não sei mensurar o grau do meu sentimento e o da minha esposa.

Estamos numa felicidade por fazer parte desta família e privilegiado em participar de uma linda festa, muito bem organizada que deixou a todos os participantes com o mesmo sentimento.

Escutei de muita gente que a festa estava muito astral e com muita fartura.

Precisamos de pessoas com estas atitudes proativas, para com as nossas vidas, pessoas que possam nos proporcionar momentos que serão inesquecíveis. Posso afirmar que todos os momentos vividos neste encontro, ficarão para sempre em nossas mentes, em nossas lembranças.

Não me lembro qual foi a última vez que fui embora de um lugar já sentindo saudade. Saudade dos amigos, saudade dos momentos vividos, saudade de sentir essa satisfação, esta alegria, desta fogueira de energia boa que nos envolveu.

Parabéns Willian, você pensou em tudo!!! Parabéns Carlos, você chegou nesta família mostrando pra que veio!! Parabéns ao nosso Patrono Paulo, que criou este espírito de alegria e respeito em seu trabalho!!!

Estamos felizes!!!

Um beijo no coração de cada um.

Gustavo Pires e Luciane Pedro

Leda Bresciani

Dive Master
Sou mergulhadora 3 estrelas (Dive Master) pela CMAS e tenho curso de Nitrox pela PADI . Mergulho há 23 anos, o que mais gosto de fazer.

Nesse período, estive em vários pontos do país como Rio, Região dos Lagos, Angra dos Reis, Abrolhos, Guarapari, Laje de Santos, Recife, Bonito, Fernando de Noronha e Parcel Manoel Luiz, no Maranhão.

No exterior, visitei Cancun e Cozumel, no México, onde, no Parque XCaret, fizemos show com golfinhos. Mergulhei em Bonaire; Cuba; Grand Cayman – onde alimentamos as raias, que vinham comer em nossas mãos – Bahamas, onde passei a mão em vários tubarões, Belize, San Andrés, Mar Vermelho (pelo Egito), Maldivas, Austrália, Galápagos e Tahiti.

Gosto muito de esportes radicais e, na Austrália, fiz a escalada da Ponte de Sydney, balonismo e salto em queda livre que eles chamam de Sky Diving. No México, fiz Paraseil, que é o parapente puxado por barco. No Brasil, experimentei rafting descendo as quedas do rio Paraibuna, RJ e em Bonito.

Além disso, pratico esportes como corrida, natação e participo de provas como travessias no mar, Aquathlon e um triathlon noturno em Copacabana. Devido a essas participações, conquistei mais de 90 troféus, mais de 250 medalhas – UFA!!!

Apesar dessas atividades, sou uma pessoa que vai completar 70 anos em novembro de 2009, mas continua fazendo o que mais ama: mergulhar, filmar e editar esse trabalho fazendo DVDs.

Já aconteceram alguns revezes como, em 1982 na largada de uma corrida em Petrópolis, fui derrubada e fraturei a coluna, mas me recuperei bem e continuei com meus esportes.

Também tenho uma frustração: até esta data ainda não consegui ver manta em meus mergulhos. Porém, quando temos um objetivo, devemos persegui-lo até conseguir realizá-lo.

Espero ter colaborado a contento com esta coluna, desejando muitos mergulhos a todos.

Leda Bresciani

Pedro Estima

Mergulhador
Caros amigos, depois de fazer o curso básico com o Paulo, nada mais natural do que estar “seco” por um mergulho certo?

Acredito ter matado minha sede de uma maneira, se não a melhor, uma muito boa. Resolvi junto com um amigo ir ao LiveAboard Antares. Para os menos avisados o esquema do LiveAboard é o seguinte, você fica num barco de sexta-feira a noite até domingo de tarde apenas para mergulhar.

Se a viagem já prometia, imagina acompanhado de um amigo e um DiveMaster? O Paulo não pode ir então mandou o Willian, seu fiel escudeiro. Fomos todos no meu carro, obviamente a viagem toda rolando conversas sobre mergulho. Eu que nem criança esperando presente de papai noel só ouvindo os dois, 15mil vezes mais experientes do que eu. Meu amigo já foi a Bonnaire, paraíso mundial de mergulhos, e o Willian deve ter por baixo 20 milhões de horas de mergulho e eu coitado com meu LogBook estalando de novo apenas com 2 mergulhos, do meu checkout. Passadas as 3 horas de viagem, trânsito e uma parada estratégica para comer um salgado gorduroso chegamos ao destino. Muito peso carregado até o barco. Eu com minha nadadeira e máscara e eles com toneladas de equipamento. Chegando no barco, show de bola!!! Fomos muito bem recebidos por todos encarregados e por alguns mergulhadores que já se encontravam. Aí então mais papo de mergulhos, coisa e tal. A verdade é que o esquema do Antares é perfeito, quartos até num dar mais, a comida é sensacional(grande cozinheiro), e a tripulação é show. Acordados de manhã por um sino estridente, acho que quase levanto de nadadeira de tanta empolgação.

No primeiro mergulho, nervosismo a flor da pele. Já embaixo d’agua, esqueci de dar aquela infladinha no colete apenas para regular o tão cobiçado TRIM. Resultado? Fiquei batendo no fundo do mar o tempo todo. Acredito que normal para mergulhador de primeira viagem. Já de volta ao barco, Willian me deu os conselhos finais e os meregulhos seguintes foram melhores.

No último mergulho do primeiro dia, não se enxergava um braço a frente, mas fomos indo, afinal de contas já estávamos lá embaixo mesmo. Nadamos bastante, e com a visibilidade ruim resolvemos dar uma subidinha para ver aonde estava o barco. Particularmente olhei e vi que o barco estava MUITO longe. Gustavo, parceiro de mergulho, médico gente fina da melhor qualidade então disse:

“Fiquem tranqüilo, eu estou de bússola, vamos nos orientar por ela que chegamos rapidinho ao lado do barco.”

Olhei pra ele, olhei pro barco, lembrei da visibilidade e pensei:

“Esse cara só pode estar me sacaneando! Vamos ficar horas pra achar a direção do barco debaixo d’agua”. Para minha surpresa da vez seguinte que subimos à superfície estávamos AO LADO do barco. A noite não houve mergulhos noturnos em função da visibilidade mas nada que um belo jantar e uma sessão de DVD, não ajudasse. Daí você me pergunta, DVD? Sim o Antares, tem televisão de LCD e DVD.

No segundo dia acordamos novamente com o belo sino estridente, e um mergulho pra ficar marcado na história, o nome do local é Parcel dos Coronéis. Lindo local com pedras gigantescas ao fundo que formam túneis. Acho que até hoje foi a cena mais bonita que já vi. Como s túneis são um pouco estreitos, só dá pra passar um mergulhador por vez. Resultado: Uma fila indiana aquática de uns 15 a 20 mergulhadores passando por túneis, cardumes nos saudando, visibilidade PERFEITA. Ao final para coroar o mergulho uma tartaruga gigante saudou todos, parou nas pedras, pousou para fotos, perfeito. E para coroar o final de semana, o Mabel, cozinheiro do Antares ainda fechou a comilança com chave de ouro e preparou uma feijoada. Acho que o interessante disto tudo é perceber que quando estamos todos numa mesma missão, com um mesmo objetivo, tudo pode dar certo.

Julio Cesar Pitombo

Open Water Diver
Olá Paulão! Depois de um final de semana maravilhoso, não poderia deixar de tecer meus comentários sobre a parceria da Brazil Divers com a Antares e que me fez lembrar uma agencia de turismo dos meus tempos de garoto, cujo slogan era: “Nós não levamos você a qualquer lugar”. Pois é meu caro amigo, há muito que não vivencio isso. Foi fantástico! Organização, logística, planejamento, segurança, tratamento e, é claro, não poderia deixar de mencionar a comida; do café da manhã, dos lanches, dos almoços e jantares, nada faltou. De dar inveja a muitos cruzeiros marítimos. Rendo homenagem ao cozinheiro, o mágico de “COZ”, um paralelo ao Mágico de Oz. Acho que dispenso maiores comentários sobre os mergulhos; nove em dois dias, incluindo noturno. Cada um melhor que o outro, num clima de amizade, companheirismo, aprendizado, troca de experiências e muita diversão.

E aqui vão meus agradecimentos a você, ao William e ao Wellington pela maneira com que conduziram esse live aboard. Nota Mil!

Para quem foi como eu, parabéns! Quem ainda não foi, faça sua reserva já. Em abril teremos outra rodada e eu com certeza, estarei nela.

Afinal, Paulo de Tharso não leva você a qualquer lugar.

Até a próxima e até Bonaire!

Julio Cesar Pitombo